• 14370397_1775614919373848_919283494423810347_n
  • banersuperior
  • bannerbannersitecelsul
  • F08-9734oficial111
  • LOGOCELSUL

1) Enunciação, texto, discurso: desdobramentos e perspectivas

A -

Coordenadores: Alexandre Ferrari (UNIOESTE), Silmara Dela Silva (UFF), Maria Cleci Venturini (UNICENTRO) e Nádia Régia Maffi Neckel (UNISUL)

Ementa: Propomos discutir, neste simpósio, lugares de enunciação, posições-sujeito e filiações ideológicas que determinam a inscrição de uma mesma textualidade em distintos domínios discursivos, dependendo da posição-sujeito daquele que se responsabiliza pelo dizer. As textualidades, independentemente do lugar de formulação e de circulação, pautam-se na naturalização de efeitos de sentidos e apagam as relações sócio-históricas, a filiação dos sujeitos e, também, o funcionamento da antecipação, pela qual os sujeitos colocam-se no lugar ‘outro’, quando da formulação, a fim de naturalizar determinadas ‘verdades’ e ‘realidades’, apagando a possibilidade de sentidos outros. Diante disso, vale perguntar pelos silêncios, apagamentos, deslizamentos e equívocos em funcionamento em materialidades significantes que têm circulado na mídia e nas redes sociais e pelos modos como, a partir de lugares de enunciação e de filiação, determinadas formulações ‘passam’ por verdades.

B -

Coordenadoras: Luiza Milano Surreaux (UFRGS), Mariângela Peccioli Galli Joanilho (UEL), Aracy Ernest-Pereira (UCPEL)

Ementa: No ano em que se comemora o centenário da publicação do clássico livro Curso de Linguística Geral, esse simpósio reunirá trabalhos de pesquisadores que realizam discussões e releituras de questões em torno da herança saussuriana, destacando impactos e/ou implicações das teorizações acerca das temáticas de texto, discurso e enunciação. O objetivo é fomentar a discussão das diferentes formas de interpretar não só o legado saussuriano como também os deslocamentos operados por diferentes autores e/ou perspectivas teóricas no que diz respeito à relação do sujeito com a língua em suas várias dimensões no campo dos Estudos da Linguagem.

C -

Coordenadoras: Maria da Gloria Correa di Fanti (PUC RS) e Maria Eduarda Giering (UNISINOS)

Ementa: As pesquisas que compõem o presente Simpósio têm como embasamento teórico estudos enunciativos, textuais e/ou discursivos e focalizam discursos de diferentes esferas de atividade (midiática, cultural, política, acadêmica, jurídica, laboral etc.). Considerando a complexidade dos objetos de análise e a possibilidade de se recorrer a diferentes teorias para a compreensão dos problemas levantados, os trabalhos partem dos estudos da linguagem e estabelecem diálogo, conforme a necessidade, com outras áreas do conhecimento. Nesse cenário, discutem-se, em variadas dimensões, desdobramentos e perspectivas da constituição dos sentidos, tendo em vista aspectos relativos à produção, circulação e recepção de discursos.

 

2) Ensino e aprendizagem de língua materna: desdobramentos e perspectivas

Coordenadoras: Marcia Cristina Correa (UFSM) e Elvira Lopes Nascimento (UEL)

Ementa: Uma formação responsiva às demandas educacionais da contemporaneidade deve se voltar para a formação de professores capacitando-os a navegar por práticas de letramento cada vez mais inter e indisciplinares. Com vistas a esse contexto social, pretendemos, neste simpósio, desencadear discussões em torno das problemáticas que envolvem a formação que hoje se situam no paradigma interacionista onde se integram diferentes variáveis concernentes ao trabalho do professor, ao aluno, à situação de ensino-aprendizagem, aos objetos de ensino e à mediação instrumental reconhecida por sua funcionalidade praxiológica, sociocultural e pelo tipo de mídia que lhe dá suporte, constituindo desafios que geram tensões no processo de ensino com relação ao sistema de ensino, às demandas sociais e saberes de referência.

 

3) Ensino e aprendizagem de Língua Estrangeira/Línguas Adicionais: desdobramentos e perspectivas

Coordenadoras: Valesca Brasil Irala (UNIPAMPA), Sandra Dias Loguércio (UFRGS) e Rosane Sá Amado (USP)

Ementa: Por um lado, parece inegável que o ensino-aprendizagem de língua estrangeira e de línguas adicionais em nosso país ganha novo fôlego com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (1996), com os Parâmetros Curriculares Nacionais (1998, para o ensino fundamental, e 2000, para o ensino médio) e documentos congêneres, bem como, mais recentemente, com os programas de governo para o ensino superior (a exemplo do Idiomas sem Fronteira e do PIBID), ajudando a atenuar um cenário de escassez de recursos materias e humanos agravado nos anos 1970 e 1980. Por outro, são numerosos os desafios ainda a ser enfrentados por aqueles envolvidos com o desenvolvimento e o amadurecimento da formação (pluri)linguística em nossa sociedade e suas incessantes novas demandas, fruto de transformações políticas, econômicas, sociais e culturais. Este simpósio visa reunir, desse modo, trabalhos que se destinem a problematizar questões tradicionalmente assentadas nas pesquisas sobre o ensino-aprendizagem de línguas no país, bem como novas questões forjadas nas instituições de ensino que levem em conta o atual cenário em que nos encontramos. Nesse sentido, as pesquisas da área, especialmente àquelas voltadas à sala de aula (da escola, de institutos ou universidades), devem apontar novos caminhos investigativos e/ou novas práticas pedagógicas, estabelecendo relações produtivas entre o local e o global, entre as macros e as micropolíticas, entre as demandas internas (relativas a escolhas e/ou representações pessoais) e externas (relativas às decisões institucionais e aos imperativos das relações de mercado), entre, finalmente, o idealizado e o possível no que tange ao processo de ensino-aprendizagem das línguas. Os trabalhos aqui reunidos evidenciarão algum dos elementos apontados e contribuirão para aprofundar a reflexão sobre as viabilidades (ou inviabilidades) constitutivas desse processo de formação.

 

4) Processamento da linguagem: desdobramentos e perspectivas

Coordenadoras: Lêda Maria Braga Tomitch (UFSC) e Cyntia Bailer (UFSC)

Com o advento das novas tecnologias abre-se, cada vez mais, a possibilidade de investigação dos processos cognitivos da linguagem e da compreensão das bases neurais do processamento no cérebro bilíngue. Neste simpósio, a proposta é abordar o processamento da linguagem em bilíngues sob a perspectiva da Psicolinguística, e/ou da Psicologia Cognitiva e/ou da Neurociência. Referimo-nos a estudos comportamentais, e/ou de neuroimagem e/ou de rastreamento ocular, que tenham por objetivo compreender o processamento da linguagem em bilíngues, no nível cerebral e/ou dos sistemas de memória que lhe dão suporte.

 

5) Descrição linguística e gramatical: desdobramentos e perspectivas

Coordenadoras: Sara Scotta Cabral (UFSM), Raymundo Olioni (FURG), Lúcia Rotawa (UFRGS)

Ementa: Este eixo temático tem por objetivo receber e discutir resultados oriundos de pesquisas sobre descrição linguística e gramatical das línguas naturais, a partir de fundamentações teórico-metodológicas distintas: teorias linguísticas formalistas e funcionalistas. Como objetos de investigação científica, o eixo contempla a organização dos fonemas na língua, a sistematização e o funcionamento do léxico, a estruturação dos fatos da língua, assim como a interface entre Fonética, Fonologia, Morfologia e Sintaxe. Estes estudos são centrados na descrição do Português (e/ou de outras línguas naturais) como Língua 1, Língua 2 e Língua Estrangeira. A contribuição dos referidos estudos científicos sobre descrição linguística são significativos para o mapeamento de fenômenos linguísticos e servem para fomentar a discussão sobre novos desafios para os estudos de descrição.

 

6) Variação e mudança lingüística: desdobramentos e perspectivas

Coordenadoras: Ana Maria Zilles (UNISINOS), Maria Célia Pereira Lima Hernandes (USP) e Sanimar Busse (UNIOESTE)

Ementa: Este simpósio, que toma como palavra-chave Fronteira, tem por objetivo acolher trabalhos que coloquem em discussão os fatores externos e as novas abordagens que proponham a expansão de critérios para atender à nova configuração social devido à emergência de manifestações sociais diversas. Nesse sentido, priorizam-se as descrições que se mostraram produtivas quanto ao impacto de fatores externos, mas principalmente que tragam elementos que permitam refletir sobre a ampliação do espectro fatorial e das respectivas correlações que desenham tendências de usos.  

 

7) Estudos da tradução e do léxico: desdobramentos e perspectivas

Coordenadoras: Alexandra Feldekircher Muller (UNISINOS) e Maria José Bocorny Finatto (UFRGS)

Ementa: O léxico como registro das experiências de dada cultura tem um papel importante nos estudos linguísticos. Nesse sentido, pesquisas sobre o léxico na perspectiva da Lexicologia, da Lexicografia, da Terminologia, da Linguística de Corpus e da Tradução são contribuições importantes para a reflexão que se propõe nesse simpósio, o qual objetiva discutir as especificidades do léxico condicionadas pelos seus diferentes usos, especializados ou não, tanto em termos teóricos como práticos, para uma aproximação do entendimento dos estudos lexicais e tradutórios.

 

8) História das línguas: perspectivas e desdobramentos

Coordenadores: Cláudia Pfeiffer (UNICAMP), Ana Zandwais (UFRGS), Florence Carboni (UFRGS), Vanise Medeiros (UFF) e José Horta Nunes (UNICAMP)

Ementa: Os trabalhos submetidos nesse simpósio poderão abordar a história das línguas a partir de quatro direcionamentos não excludentes: constituição de diferentes discursos sobre a(s) língua(s), desde o processo de colonização brasileira, levando em consideração tanto a produção de saberes metalinguísticos em diversas textualidades, quanto outros discursos formulados em diferentes instâncias do saber; configuração da(s) língua(s) no espaço enunciativo brasileiro em diferentes discursos como o dos viajantes, colonos, trabalhadores escravizados, missionários, historiadores, do Estado, desde a colonização brasileira; relação entre as línguas em diferentes tempo-espaços, desde a colonização brasileira; discussão teórico-epistemológica que reflita sobre os objetos, conceitos, procedimentos de disciplinas/teorias, configuradas após a linguística saussuriana, que abordem a história da(s) língua(s), trazendo para a cena suas perspectivas, seus desdobramentos, suas consequências éticas dentro da produção do conhecimento.

 

9) A constituição da Língua Brasileira de Sinais: desdobramentos e perspectivas

Coordenador: Lodenir Becker Karnopp (FACED/UFRGS)

Ementa: Língua de Sinais e Literatura Surda são conceitos desenvolvidos e analisados, tendo como suporte teórico-metodológico Estudos Culturais em Educação e os Estudos sobre Surdos. Considera-se, neste trabalho, a Libras como a língua das comunidades surdas no Brasil e o português, na modalidade escrita, a segunda língua ensinada na escola. Os contextos de educação bilíngue são aqueles contextos de escolarização oferecidos pelas escolas que os alunos surdos frequentam e onde são utilizadas duas línguas em aula (Libras e português). Considera-se que tais contextos podem privilegiar a circulação de materiais didáticos e artefatos culturais em Libras e em português, favorecendo o consumo de materiais diversificados pela comunidade escolar.

 

10) Políticas públicas de línguas: perspectivas e desdobramentos

Coordenadoras: Bethania Mariani (UFF), Cibele Lemke (UNICENTRO) e Cristine Gorski Severo (UFSC)

Ementa: Considerando que o horizonte de retrospecção das formas de constituição dos saberes sobre as línguas é constitutivo da formulação dos saberes linguísticos na contemporaneidade, este simpósio se propõe a tematizar as políticas públicas de línguas e, também, aquelas que publicizam os saberes sobre as línguas.  Assim sendo, interessa-nos aglutinar pesquisadores interessados em discutir tanto as práticas concretas das novas tecnologias de linguagem e os instrumentos linguísticos a elas associados quanto a análise da historicidade de gramáticas, enciclopédias e/ou dicionários. Em consonância com práticas linguísticas transfronteiriças, o simpósio também problematiza os desafios enfrentados pelas políticas linguísticas diante de experiências transnacionais e diaspóricas, bem como os efeitos que tais experiências produzem sobre as formas de constituição dos saberes sobre as línguas. Algumas questões que o simpósio visa debater incluem: Da gramática e do livro didático ao EAD, das colunas sobre língua em jornais impressos ao buscador Google, o que pode a construção do saber sobre a língua? Como as relações de poder permeiam os processos de construção de saberes e de promoção de políticas públicas que envolvem certos falantes e certas comunidades? Como ocorre o diálogo entre as propostas de políticas linguísticas e os demais atores envolvidos? Neste sentido, o simpósio também propõe discutir trabalhos que se articulem à análise de políticas linguísticas presentes nas práticas de ensino/aprendizagem de línguas.

 

 

 


  

 

 

 

Conheça o campus da UFSM.

Clique no logo.

UFSM